top of page

Peeling químico: o que precisa de saber?


A pele, o maior órgão do corpo humano, é uma fronteira entre o organismo e o ambiente, protegendo o corpo da perda de substâncias e controlando ou impedindo a penetração de substâncias nocivas para o organismo.

A utilização de ácidos nas alterações estéticas tem-se mostrado cada vez mais eficaz. Na maioria dos tratamentos faciais, uma das etapas dos procedimentos é a sua aplicação. O peeling químico, também conhecido como quimo esfoliação ou dermopeeling, consiste na aplicação de um ou mais agentes esfoliantes na pele, resultando na destruição de partes da epiderme e/ou derme, seguida de regeneração dos tecidos epidérmicos e dérmicos.

Este tipo de tratamento é aplicável a diversas situações, como na diminuição da aparência de linhas finas de expressão e das rugas, acne e as suas sequelas, cicatrizes atróficas, estrias e também para clareamento da pele. No entanto é contraindicado nos casos de gravidez, stress, cicatrização deficiente, entre outras.

Existem vários tipos de peelings químicos:

  • O peeling superficial, que tem ação na camada córnea localizada na epiderme;

  • O peeling médio com ação na derme papilar;

  • O peeling profundo, que tem ação na derme reticular.

A identificação do tipo de peeling químico dependerá da condição a ser tratada na pele. Para tal, é necessária uma orientação médica e que sejam identificados os problemas e queixas do paciente, para posteriormente ser indicado o tipo de peeling.

Cuidados a ter após um peeling químico

Os peelings químicos costumam ser indicados e realizados durante o inverno, uma vez que a primeira e mais importante orientação após o tratamento é não existir exposição solar. A exposição solar após um peeling químico pode resultar num efeito contrário ao desejado, como manchas na pele (escuras ou claras a depender do tom da pele do paciente) e até mesmo queimaduras.

É importante que o paciente faça a correta higienização da cara e a sua hidratação de maneira intensiva, tornando o processo de cicatrização mais rápido e reduzindo a possibilidade de reações adversas. Independentemente do peeling feito, a correta higienização e o uso de protetor solar com alto fator de proteção são obrigatórios.

Benefícios do tratamento com peeling químico

Existem diversos benefícios para a pele após um tratamento de peeling químico. A pele retoma a iluminação de antes, os poros sofrem redução, as linhas de expressão e as rugas são minimizadas de forma efetiva. É um tratamento com um custo acessível quando comparados aos tratamentos efetuados com laser ou através da cirurgia plástica.

As explicações são da enfermeira Ariana Botelho, da Clínica Pilares da Saúde.

4 visualizações0 comentário
bottom of page