Dicas para evitar o burnout profissional


Ao estarem constantemente expostos a situações de elevado de stress (profissional e pessoal), as pessoas podem acusar sintomas como a energia reduzida, a diminuição da produtividade e da motivação e prejuízos na qualidade do trabalho. O burnout não afeta apenas o desempenho da pessoa que dele sofre, podendo ter também um impacto negativo nos colegas de trabalho e na própria empresa empregadora.

Assim sendo, agora mais do que nunca, é necessário que os líderes das empresas tomem medidas para priorizar o bem-estar das equipas, evitando que estas tenham de gerir elevados níveis de stress.


1. Priorizar a flexibilidade

Trabalhar em casa é mais conveniente para muitas pessoas, mas o teletrabalho não significa necessariamente uma maior flexibilidade. Para além de oferecerem a opção de trabalho remoto, as empresas devem, tanto quanto possível, oferecer às suas equipas a possibilidade de trabalhar em horários verdadeiramente flexíveis, não restritos ao típico modelo 9h-18h.


2. Oferecer análises de desempenho e feedback cuidadosos

Para evitar o esgotamento profissional, é importante que os líderes comuniquem regularmente com as pessoas que gerem. É também essencial que se disponibilizem para orientar e dar apoio aos colaboradores que sentem que seu trabalho não está a fazer a diferença. Desta forma, é ideal incentivar cada colaborador a refletir sobre o seu próprio desempenho e elogiar quando o trabalho fica bem feito. A utilização de um software de gestão de RH pode ajudar a facilitar a conversação contínua e promover o bom desempenho das equipas.


3. Promover as pausas ao longo do dia

Além da comunicação regular com os colaboradores, é necessário que os empregadores se certifiquem de que eles não estão a trabalhar demasiado. Para isso, pode ser benéfico utilizar um relógio online para “picar o ponto” e incentivar as pessoas a fazerem pausas ao longo do dia, o que ajuda a aumentar não só a produtividade, mas também a criatividade.


4. Promover a inteligência emocional no local de trabalho

Para ajudar a prevenir o burnout dos colaboradores, os líderes das empresas devem promover a empatia e a compaixão no local de trabalho, ao cultivar a inteligência emocional nas interações, praticar escuta ativa e criar uma cultura de confiança. Esta estratégia faz com que os colaboradores se sintam mais apoiados e valorizados no seu ambiente profissional, o que os motiva a trabalharem melhor.


5. Proporcionar uma experiência de colaborador positiva

Investir em métodos e ações que ajudem a melhorar a experiência de colaborador faz com que as equipas se sintam mais confortáveis no ambiente de trabalho. É importante fazer inquéritos internos e conversar com as pessoas para perceber de que forma é possível ajudá-las. Para as empresas em regime híbrido ou teletrabalho a tempo inteiro, isto inclui um planeamento cuidado e perceber quais são os maiores desafios para os colaboradores. É também importante que os líderes se certifiquem de que as equipas possuem todo o suporte e recursos necessários para trabalhar de forma eficiente e, ao mesmo tempo, tranquila.


6. Respeitar o direito às férias e folgas

Por fim, é importante que tanto os gestores como a equipa de RH consigam organizar e gerir de forma harmoniosa as férias e as folgas dos colaboradores, uma vez que o descanso é fundamental para prevenir o burnout. Para facilitar este processo, os líderes podem recorrer a softwares de gestão de férias e ausências que organizem de forma automática os dias de férias utilizados por cada pessoa.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo