top of page

Já ouviu falar em “doença dos cristais”?


O que são os cristais do ouvido?

São cristais microscópicos de carbonato cálcico que estão alojados no ouvido interno e que ajudam a informar o cérebro da posição da cabeça no espaço e relativamente à gravidade.

Quando por algum motivo, por vezes conhecido - como é o caso de uma queda ou acidente - ou desconhecido na maioria das vezes, esses pequenos cristais se deslocam para uns canais, chamados canais semicirculares, aparece a chamada “doença dos cristais”, sendo atualmente a causa mais frequente de vertigens.

O ouvido interno possui três canais semicirculares dispostos nos três planos do espaço, cuja função é detetar os movimentos da cabeça em relação a esses planos, sendo muito sensíveis às acelerações angulares.

Por esse motivo quando os cristais entram num dos canais, pequenos movimentos da cabeça podem desencadear vertigens que podem chegar a ser muito intensas e desagradáveis, incapacitando quem delas padece.

Uma causa frequente de vertigem

Os movimentos que tipicamente provocam essas vertigens, por vezes acompanhadas de náuseas e vómitos, são movimentos tão simples e tão presentes na nossa vida como deitar e levantar da cama, virar na cama ou movimentar a cabeça para cima (hiperextensão cervical).

Esta doença é chamada VPPB ou vertigem posicional paroxística benigna e como já referimos anteriormente é a causa mais frequente de vertigem. Provoca crises recorrentes de vertigem, mas também podem apresentar uma tontura ou desequilíbrio mesmo sem fazer esses tipos de movimentos, pelo que a pessoa fica por vezes muito limitada no seu dia a dia.

Como se diagnostica?

O diagnóstico é facilmente realizado na consulta de Vertigem através de uma manobra chamada Dix-Hallpike, onde o médico verifica os sintomas e o movimento ocular acompanhante (nistagmo) que vai indicar o canal implicado.

Uma vez realizado esse diagnóstico, é possível tratar o problema com manobras terapêuticas que se realizam no próprio ato da consulta. Por vezes na primeira sessão o problema fica resolvido, outras vezes pode ser necessário várias sessões separadas por uma ou duas semanas.

Este problema que aparentemente pode parecer fácil de diagnosticar e resolver, em algumas ocasiões constitui um desafio mesmo para o médico dedicado a esta área, uma vez que há patologias que podem “mimetizar” estes sintomas e que são mais graves nomeadamente alguns tumores do Sistema Nervoso Central, pelo que é muito importante procurar ajuda de um especialista dedicado à vertigem.

Porque é que procurar ajuda diferenciada é fundamental?

Um bom diagnóstico e um correto tratamento é fundamental para evitar o sofrimento e incapacidade prolongada do doente que gera limitações físicas e psicológicas importantes.

É muito importante procurar uma consulta de vertigem que seja realizada por especialistas altamente diferenciados e com equipamento com tecnologia de ponta, como a videonistagmoscopia, que permite visualizar ao momento os movimentos oculares ajudando a identificar com exatidão o canal implicado e a manobra adequada a aplicar. Porque um diagnóstico preciso e precoce é fundamental para o tratamento desta patologia.

Um artigo da médica Rosa Castillo, otorrinolaringologista e coordenadora da Unidade de Vertigem do Hospital CUF Porto.

4 visualizações0 comentário
bottom of page